RESPOSTA IMUNITÁRIA HUMORAL DE OVINOS EXPERIMENTALMENTE INFECTADOS COM TRYPANOSOMA EVANSI.

P. B. Passos, L. C MARQUES, R. Z. MACHADO, F. A. CADIOLI, L. P. C. T. AQUINO, T. H. C. PATELLI, T. R. ALMEIDA, M. C. A. TEIXEIRA

Resumo


A presente pesquisa objetivou estudar a resposta imunitária humoral de ovinos experimentalmente infectados com T.evansi. Para tal, foram utilizadas dez fêmeas, com idade aproximada de oito meses, com variado grau de mestiçagem, clinicamente sadias e sorologicamente negativas para a presença de anticorpos anti-T. evansi (Reação de Imunofluorescência Indireta - RIFI). Desses dez animais, quatro foram utilizados como testemunhos (G3) e os seis restantes constituíram os grupos G1 e G2. As ovelhas do G1 e G2 foram inoculadas via intravenosa, com cerca de 2,4 x 106 e 2,4 x 107 tripomastigotas de T. evansi, respectivamente. A pesquisa de anticorpos anti-T. evansi foi realizada diariamente até o 14º dia após as inoculações (DAI), semanalmente até 133º DAI e a cada 15 dias até o 253º DAI. O curso da doença foi assintomático e anticorpos anti-T. evansi foram identificados no soro dos ovinos inoculados a partir do 14º DAI. Títulos crescentes foram verificados entre o 30º e 90º DAI e, após esse período, mantiveram-se elevados até o final do período de observação. Os ovinos que receberam maior inóculo (G2) apresentaram em média maiores títulos de anticorpos anti-T. evansi.
PALAVRAS CHAVE: Trypanosoma evansi. Tripanossomíase. Ovinos. Resposta imune.

Texto completo:

Artigo na Íntegra - PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15361/2175-0106.2006v22n2p159-164