AVALIAÇÃO MICROBIOLÓGICA E PARASITOLÓGICA DE “PEIXE PANGA” (Pangasius sp.)

E. E. V. RESPLANDES, C. H. S. MARTINS, S. N. G. SOCOLOSKI, P. S. A. MOREIRA, A. K. CAMPOS, J. L. FORTUNA, T. R. ANJOS, T. B. VIEIRA

Resumo


O objetivo foi avaliar a qualidade microbiológica e parasitária de filés de peixes Panga (Pangasius sp.) comercializados no Estado de Mato Grosso. Foram colhidas 25 amostras de filés de Pangasius sp. comercializadas em oito cidades do Estado de Mato Grosso, no período de julho a agosto de 2014. Para a análise microbiológica, foi realizada contagem de Staphylococcus coagulase positiva; pesquisa de Salmonella sp.; enumeração de coliformes totais, termotolerantes e Escherichia coli pelo método de número mais provável (NMP). Não obstante, procedeu-se a análise parasitológica através da pesquisa de estruturas morfológicas parasitárias. Estirpes de Staphylococcus coagulase positiva foram isoladas em duas amostras (2/25) com contagem de 3,8 x 104 e 1,4 x 105 UFC/g. Em uma amostra (1/25), foram obtidos valores de 23 NMP/g para coliformes totais, 4 NMP/g para coliformes termotolerantes e 4 NMP/g para E. coli. Não foram isoladas cepas de Salmonella sp.. Não foi observada estrutura parasitária. De acordo com a Resolução - RDC nº 12, de 2 de janeiro de 2001, duas amostras foram consideradas impróprias para o consumo humano, por apresentarem contagens de Staphylococcus coagulase positiva acima de 103 UFC/g. Embora, 92% (23/25) dos filés de Panga estejam de acordo com o estabelecido pela legislação brasileira vigente, devem-se estabelecer medidas que visem a melhoria da qualidade dos produtos da pesca, com boas práticas de fabricação e manipulação a fim de reduzir o risco de enfermidades transmitidas por alimentos.


PALAVRAS-CHAVE: SALMONELLA. COLIFORMES. STAPHYLOCOCCUS. HIGIENIZAÇÃO.


ÁREA TEMÁTICA: Higiene e Inspeção de Produtos de Origem Animal.

Texto completo:

PDF - TRABALHO


DOI: http://dx.doi.org/10.15361/2175-0106.2015v31n2p23