ENDOSCOPIC ESOPHAGEAL DESOBSTRUCTION IN A MULE - CASE REPORT / Desobstrução esofágica por via endoscópica em Muar – Relato de caso.

C. G. OROZCO, G. F. OLIVEIRA, L. D. ALVES, B. F. SPÍNDOLA, B. G. SOUZA, G. S. SEPPA

Resumo


A obstrução esofágica é uma emergência na clínica médica de equídeos e deve sempre ser tratada como tal, já que a pressão exercida sobre a mucosa pelo material obstrutivo pode causar diversas complicações, como úlceras e perfurações. Um muar, fêmea, seis anos de idade e 330 kg de peso corporal foi atendido com histórico de disfagia, salivação excessiva, refluxo de material espumoso pela via nasal e oral, tosse e extensão do pescoço e cabeça, com evolução clínica  de três dias. Foi realizado o exame endoscópico visualizando-se uma massa de capim compactada obstruindo o esôfago torácico. A compactação foi desfeita com auxílio de pinça romba através do canal de trabalho do endoscópio observando-se uma grave úlcera concomitante. Foi estabelecida terapia antimicrobiana com ampicilina sódica na dose de 6 mg/kg BID por via intravenosa durante sete dias, flunixina meglumina na dose de 1,1 mg/kg SID por via intravenosa durante três dias e omeprazole na dose de 2 mg/kg SID por via oral durante vinte e quatro dias. Uma semana após início do tratamento foi realizada uma nova avaliação endoscópica, sendo observados lúmen esofágico desobstruído e mucosa esofágica em processo de cicatrização, com redução moderada das dimensões da úlcera.

 

 

SUMMARY

 

The esophageal obstruction (choke) in horses is a clinical emergency that needs to be treated as soon as possible because it may lead to several complications like ulcers and perforations. A six-year old mule, weighing 330 kg, was referred with excessive salivation, coughing, nasal and oral discharge containing food and water, extension of neck and head after three days of clinical evolution. An esophagoscopy was performed and it was visualized an ingesta impaction on the thoracic esophagus with severe concomitant ulcer. The impaction was relieved with an endoscopic forceps. Subsequently, therapy with sodic ampicillin was established, 6 mg/kg BID was administered intravenously for seven days, flunixin meglumine 1.1 mg/kg SID also administered intravenously for three days and omeprazol (2 mg/kg) SID orally for twenty four days. A week after the treatment had initiated, another endoscopic exam showed that the esophagus was unimpeded, the esophageal mucosa in the healing process, and there was a moderate reduction of  ulcer dimensions.

 

 




DOI: http://dx.doi.org/10.15361/2175-0106.2011v27n4p216-219