EFFICACY OF SERONEUTRALIZATION OF A SYSTEMIC TOXICO-INFECTION CAUSED BY Staphylococcus pseudintermedius ON MICE / Utilização de modelo biológico experimental na ação soroneutralizante de toxinfecção sistêmica por cepa de Staphylococcus pseudintermedius.

C. SOUZA, J. F. G. WARTH, J. V. B. AGOTTANI, J. MOURA, R. P. MALUTA, M. V. CARDOZO, F. A. ÁVILA

Resumo


O objetivo deste estudo foi avaliar a proteção conferida por soro hiperimune policlonal contra a toxinfecção intraperitoneal por Staphylococcus pseudintermedius (S. pseudintermedius) utilizando como modelo biológico experimental camundongos passivamente imunizados pela via intraperitoneal com 0.5 mL de soro canino com título 512 de anti-hemolisina Beta a qual foi considerada como marcadora da expressão fenotípica de virulência tóxica. Para realização do experimento foram constituídos dois grupos de animais (I e II) compostos por 32 camundongos (Mus musculus) cada um, tendo o grupo controle (II) recebido igual volume de solução fisiológica pela mesma via. Os dois grupos foram desafiados com inóculo contendo 2.5 x 1010 U.F.C. diluídas em caldo com 16 UH (Unidades Hemolíticas) de toxina Beta, correspondente a 1.5 DL50. O índice de sobrevivência foi avaliado 24 horas após o início do experimento alcançando 97% no grupo I e 33% no grupo II. A avaliação da eficácia soroterápica antitóxica, medida pela Fração Evitável, alcançou índice de proteção de 87%. No grupo imunizado passivamente, observou-se a presença bacteriana nos lavados peritoneais durante todo o experimento. As contagens bacterianas no baço dos animais imunizados apresentaram tendências decrescentes até as 84 horas após o desafio. A partir de 108 horas após o desafio observou-se no grupo I a formação de pequenos abscessos localizados principalmente na superfície hepática, linfonodos mesentéricos, peritôneo parietal e diafragma. A proteção conferida pelo soro hiperimune policlonal desempenhou um papel importante em relação aos fatores de virulência toxigênicos do S. pseudintermedius. Apesar da constante presença bacteriana na cavidade peritoneal dos animais imunizados, a neutralização das toxinas possibilitou a sobrevivência dos animais desafiados demonstrando o importante papel das mesmas na virulência do S. pseudintermedius, principal agente etiológico nas piodermites caninas. Face aos resultados de proteção obtidos neste modelo biológico, a utilização terapêutica de soro hiperimune em pacientes imunocomprometidos ou a utilização de um toxoide em infecções localizadas poderão se tornar uma alternativa viável no controle destas toxinfecções em cães.

SUMMARY

 

The aim of this study was to evaluate how effective the antitoxic hyperimmune serum is against intraperitoneal toxinfection caused by Staphylococcus pseudintermedius (S. pseudintermedius) on mice passively immunized with 0.5 mL of canine polyclonal serum with 512 anti-hemolysin Beta titer, which was considered the phenotypical marker of toxic virulence. Sixty-four mice (Mus musculus) were divided in two groups (I and II) with 32 mice each, one of which, the control group (II) received equal volume of physiologic saline solution by the same route. Both challenged groups received inoculum with 2,5 x 1010 C.F.U. diluted in broth with 16 HU (Hemolytic Units) of Beta toxin, corresponding to 1.5 DL50. The survival index was evaluated 24 hours after the initial experiment, and reached 97% and 33% in group I and II, respectively. The evaluation of the antitoxic serotherapy efficacy, measured by Preventable Fraction, showed a protection index of 87%. In the passively immunized group, the presence of bacteria in the peritoneal fluid was observed during the whole experiment. The bacterial counts in the spleen of immunized animals showed decreasing tendency up to 84 hours after the challenge. At necropsy, small abscesses localized mainly on the liver surface, mesenteric lymph nodes, parietal peritoneum and diaphragm were observed in mice of group I, 108 hours after the challenge. The protection conferred by the polyclonal hyperimmune serum played an important role with respect to toxigenic virulence factors of this bacterium.  In spite of the constant bacterial presence in the peritoneal cavity of passively immune animals, the neutralization of toxins allowed the survival of challenged animals showing their important role in the virulence of S. pseudintermedius, the main etiologic agent of canine pyoderma. Based on the results of this biological model, the therapeutic use of hyperimmune serum in immune-compromised patients as well as the preventive use of a toxoid vaccine can be a viable alternative to control these toxic infections in dogs.




DOI: http://dx.doi.org/10.15361/2175-0106.2012v28n1p022-027