INTRAMUSCULAR GLYCOGEN AND LIPID CONTENTS OF ACTIVE AND INACTIVE YOUNG HORSES OF THE BRASILEIRO DE HIPISMO BREED

F. H. F. D'ANGELIS, J. V. OLIVEIRA, C. B. MARTINS, M. A. G. SILVA, I. C. BOLELI, J. C. LACERDA NETO, G. C. FERRAZ, A. QUEIROZ-NETO

Abstract


Objetivou-se determinar o conteúdo bioquímico de lipídeos e glicogênio nas fibras do músculo gluteus medius de cavalos da raça Brasileiro de Hipismo (BH), observando-se as variáveis idade, gênero, profundidade da biópsia e atividade física de baixa intensidade. Para tanto, utilizaram-se 89 eqüinos, sendo 78 inativos e 11 com atividade física moderada. A análise de glicogênio intramuscular foi realizada por meio da coloração de "PAS" e, a determinação de lipídios utilizando-se a coloração de "oil red O". Para a tipificação das fibras I, IIA e IIX empregaram-se a técnica de NADH-TR. Não houve diferença no conteúdo de glicogênio na comparação entre as idades. Observou-se diferenças entre os sexos, sendo que as fêmeas apresentaram maior conteúdo de glicogênio em relação aos machos, principalmente nas fibras do tipo IIA e IIX. Independente da idade, sexo e profundidade da biópsia muscular o conteúdo de lipídios nas miofibras tipo I foi maior. O mesmo resultado foi verificado em relação à atividade física, não havendo diferenças em relação ao conteúdo de glicogênio e lipídeos quando se comparou as intensidades de coloração nos animais inativos e treinados por 10 meses. Concluiu-se que a atividade física leve não foi capaz de alterar as reservas de glicogênio em repouso. Por outro lado, as fêmeas apresentaram maiores conteúdo de glicogênio podendo sugerir um melhor desempenho desses animais em situações de demandas energéticas de curta e média duração e intensidade.

PALAVRAS-CHAVE: Brasileiro de Hipismo. Cavalo. Exercício. Glicogênio. Lipídeos.




DOI: http://dx.doi.org/10.15361/2175-0106.2009v25n1p009-013