COMPLICAÇÕES MULTISSISTÊMICAS DECORRENTES DE HÉRNIA INGUINO-ESCROTAL EM EQUINO

D. J. QUEIROZ, D. P. M. DIAS, D. ZANGIROLAMI FILHO, C. L. LHAMAS, K. GRAVENA, N. S. BERNARDI, V. A. CANELLO, J. C. LACERDA NETO

Resumo


O presente trabalho teve como objetivo descrever complicações multissistêmicas associadas à hérnia inguino-escrotal em equino. Um equino da raça Brasileiro de Hipismo, de 7 anos, foi encaminhado para atendimento veterinário apresentando dor abdominal moderada, desidratação severa e sinais de síndrome da resposta inflamatória sistêmica (SIRS). Indicou-se laparotomia e a hérnia inguino-escrotal foi corrigida. Entretanto houve necessidade de uma segunda laparotomia realizada seis dias após a primeira intervenção cirúrgica devido aos sinais de dor e refluxo incessantes. No momento da admissão o animal já apresentava sinais de SIRS e no pós operatório apresentou íleo adinâmico, insuficiência renal aguda e duodeno-jejunite proximal, além de complicações respiratórias e disfagia. Ao final o animal se recuperou de todas essas complicações, porém desenvolveu laminite e acabou sendo eutanasiado devido à posição permanente de decúbito.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15361/2175-0106.2018v34n3p98-104