ESCORE DE CONDIÇÃO CORPORAL EM RUMINANTES

A. F. A. FERNANDES, J. A. OLIVEIRA, S. A. QUEIROZ

Resumo


A aferição da condição corporal de ruminantes tem sido recomendada em diversos estudos por refletir o estado metabólico do animal, indicando os indivíduos menos susceptíveis a doenças, mais aptos à reprodução e de melhor rendimento de carcaça. Assim, a avaliação rotineira do escore de condição corporal (ECC) de fêmeas deve contribuir para maior rentabilidade do sistema de produção, pois potenciais problemas podem ser controlados antes que reduzam significativamente a mesma. As metodologias propostas inicialmente para mensurar o ECC foram aprimoradas no decorrer do tempo, tendo em vista o propósito de criação dos ruminantes e as particularidades fenotípicas dos pequenos ruminantes. As pesquisas evidenciam os benefícios proporcionados pela aferição do ECC nas características ligadas à sanidade, reprodução, produção, habilidade materna, consumo alimentar e carcaça de ruminantes. Valores moderados de ECC refletem o equilíbrio metabólico, garantindo melhor desempenho reprodutivo, maior produção de leite, bom desenvolvimento da prole e boa qualidade de carcaça.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15361/2175-0106.2016v32n1p55-66